Hérnia discal lombar

Hérnia discal lombar: o que é e como tratar

Hérnia discal lombar: o que é e como tratar

A coluna vertebral é o centro do esqueleto humano e tem como função proteger a medula espinhal e servir como estrutura de suporte para os nossos principais membros. Ela é formada por 33 vértebras, sendo 7 cervicais (pescoço), 12 dorsais ou torácicas, 5 lombares, 5 sacrais e 4 ossos fundidos que formam a porção final da coluna, chamada de cóccix.

Entre uma vértebra e outra existe um disco chamado de disco intervertebral. Cada disco atua como um amortecedor para que um osso não raspe no outro, além de possibilitar o espaçamento entre uma vértebra e outra.

A hérnia de disco é caracterizada pelo rompimento desse disco intervertebral, o chamado anel fibroso, causando dor nas costas e sensação de queimação ou dormência. A doença pode afetar diversas áreas da coluna e causar dores e sintomas diferentes.

Quando a hérnia ocorre na coluna cervical ela afeta a região do pescoço, comprimindo a raiz nervosa, causando dor intensa tanto na coluna quanto ao longo do braço, podendo chegar até a mão, com fraqueza e dormência. Nos casos mais graves também pode surgir diminuição da força muscular e dificuldade para movimentar o pescoço.

A hérnia de disco torácica afeta a região do meio das costas e é considerada mais rara em função da pouca mobilidade dessa região, por fazer parte da caixa torácica. Nesse caso, o paciente relata dor e dormência no tórax, dor na parte superior ou inferior das costas, dor na região intercostal (entre as costelas), dor abdominal com ou sem perda de sensibilidade. Em alguns casos, também pode ocorrer incontinência urinária e fecal, além de movimentos respiratórios dolorosos.

Por fim, a hérnia de disco lombar afeta a região mais baixa das costas, causando dor ao longo do trajeto do nervo ciático que vai da coluna vertebral à nádega, coxa, perna e calcanhar; fraqueza nas pernas; dificuldade em levantar o pé deixando o calcanhar no chão; alteração no funcionamento do intestino ou bexiga, por compressão de nervos.

Hérnia discal lombar

A hérnia discal lombar é o tipo de hérnia mais comum e atinge as vértebras lombares da coluna. Normalmente afeta jovens adultos de 20 a 40 anos de idade.

Os principais sintomas da doença são as dores nas costas no final da coluna, que pode irradiar para o glúteo ou pernas; dificuldade para movimentar-se; dormência, queimação ou formigamento nas costas, nádegas ou pernas. Essas dores podem ser constantes ou piorar ao realizar movimentos.

Quando ataca a dor, o paciente tende a ficar em uma posição conhecida como antálgica, até a dor diminuir. Em geral, ela costuma atingir apenas um lado do corpo, podendo afetar pernas, quadril, nádegas, panturrilha e planta do pé, além de causar dormência e cãibras.

O diagnóstico pode ser feito clinicamente, levando em conta as características dos sintomas e o resultado do exame neurológico. Exames como RX, tomografia e ressonância magnética ajudam a determinar o tamanho da lesão e em que exata região está localizada.

As causas da hérnia discal lombar podem estar relacionadas com alterações estruturais da coluna ou devido a acidentes, má postura ou levantamento de peso, por exemplo. É mais comum, principalmente, em pessoas que tem a musculatura abdominal muito fraca e está com excesso de peso.

Tratamentos hérnia discal lombar

Após o diagnóstico, o médico indicará o melhor tratamento para a dor. Nem sempre a hérnia de disco tem cura, especialmente quando há uma grande degeneração do disco ou das vértebras envolvidas, mas o tratamento pode alcançar bons resultados e a pessoa pode deixar de sentir dor com os tratamentos disponíveis.

O tratamento para hérnia discal lombar vai variar de acordo com os sintomas apresentados, a idade e até mesmo a rotina do paciente. Casos mais leves podem ser tratados com o uso de medicamentos para aliviar a dor ou até mesmo injeções. Além disso, são indicadas sessões de fisioterapias.

A fisioterapia ajuda a aliviar os sintomas causados pela doença e a recuperar os movimentos. Ela pode ser realizada diariamente, ou, no mínimo, 3 vezes por semana.

Podem ser utilizados aparelhos para controlar a dor e a inflamação e exercícios para fortalecer os músculos das costas e da região abdominal, indicados pelo fisioterapeuta.

Os exercícios de musculação geralmente só podem ser realizados sob orientação médica e com supervisão do professor da academia.

Nos casos mais graves há indicação de cirurgia. A cirurgia para hérnia de disco lombar pode ser feita com o uso de laser ou por meio da abertura da coluna, para unir duas vértebras, por exemplo.

A cirurgia é delicada e só é indicada quando as outras formas de tratamento não são suficientes. A recuperação, durante o pós-operatório, da cirurgia é demorada e o paciente deverá permanecer de repouso nos primeiros dias, evitando fazer esforços. A fisioterapia para hérnia de disco lombar geralmente começa após 15 a 20 dias da cirurgia.

Como evitar a hérnia de disco

Manter o corpo alinhado é uma forma de prevenir hérnias de disco. Sempre que mantemos uma postura inadequada sobrecarregamos nossa coluna, fazendo com que os discos intervertebrais sofram cargas anormais.

Mas, não basta apenas ter uma boa postura para evitar uma hérnia de disco. É preciso adotar hábitos saudáveis de vida. O excesso de peso, a falta de atividade física e até o cigarro são fatores que contribuem para o desenvolvimento de uma hérnia de disco.

Nas mulheres, atenção ao uso do salto alto. Ao calçar um sapato de salto muito alto, há um aumento da curvatura natural da coluna lombar, gerando uma hiperlordose. Assim, poderá ocorrer maior fadiga da musculatura, além de dores na lombar.

Além disso, existem pessoas que estão geneticamente mais propensas a desenvolver hérnias de disco. Portanto, se você tem alguém na família que sofre com hérnia de disco, procure se cuidar, mantenha uma postura correta e hábitos que venham a prevenir o surgimento da hérnia discal.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter, e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgião de coluna vertebral em Cuiabá!

 

Posted by Dr. Carlos Augusto Costa Marques in Todos