dor lombar

Dor lombar: sinais de alarme para outras doenças

Dor lombar: sinais de alarme para outras doenças

A dor lombar é um sintoma tão comum, que afeta 80% da população em algum momento da vida. Este também é um dos principais motivos de afastamentos do trabalho, além de estar associado com alterações mentais, como a depressão. Portanto, este é um sinal comum e, por isso mesmo, de alta complexidade, já que muitas pessoas podem negligenciá-lo.

Nem sempre a dor nas costas é resultado de um dia de trabalho em posição incorreta, ou de elevação de peso em excesso. Em alguns quadros, a dor nas costas é um importante sinal da presença de doenças sérias para a saúde do indivíduo.

Por esse motivo, preparei este material, que alerta sobre os principais sinais que acompanham a dor lombar, e que podem indicar que é hora de consultar um médico!

Confira, a seguir.

Tenho dor lombar, devo me preocupar?

Os quadros mais comuns na coluna envolvem a realização de movimentos bruscos, má postura, levantamento de peso excessivo, lesões esportivas, dentre outros. Esses casos podem gerar dores agudas nas costas, que se curam sozinhas em alguns dias. Por outro lado, a dor lombar acompanhada de outros sintomas deve ser analisada por um médico.

Tais sinais de alerta incluem:

  • fraqueza nos membros inferiores;
  • dormência;
  • perda de peso sem motivo aparente;
  • falta de controle sobre a bexiga ou intestino (retenção ou incontinência urinária ou fecal);
  • febre.

Se você apresenta esses sintomas, procure um médico com urgência, pois eles podem indicar a presença de algo mais grave na sua saúde. 

Principais doenças que provocam dor lombar

Conheça algumas enfermidades que geram dor lombar, dentre outros sintomas mais graves.

Síndrome da cauda equina

Este é um quadro de emergência médica. A síndrome da cauda equina acontece quando as raízes nervosas do final da medula espinhal são comprimidos, gerando o bloqueio dos músculos das pernas, além de alterações na função da bexiga. Se não for tratado rapidamente, o distúrbio pode causar a paralisia permanente dos membros inferiores, além de incontinência urinária.

A principal causa da síndrome é a presença de uma grande hérnia de disco na região lombar. Outros fatores de risco da síndrome da cauda equina incluem:

  • infecção espinhal;
  • inflamações na espinha;
  • estenose do canal lombar;
  • traumas graves na coluna lombar, como tiros, acidentes ou queda em altura;
  • tumores;
  • malformações congênitas, dentre outras causas.

Os principais sintomas da síndrome da cauda equina são:

  • dor lombar intensa;
  • fraqueza nas pernas;
  • perda de sensibilidade e de reflexos dos membros inferiores;
  • retenção urinária ou incontinência;
  • alterações sensoriais na bexiga e reto;
  • disfunção sexual.

Outras doenças graves, que geram dor lombar

Demais enfermidades que podem ser percebidas, inclusive, com dor lombar, incluem:

  • estenose espinhal;
  • deformações na coluna vertebral, como escoliose, cifose ou lordose;
  • artrite;
  • fibromialgia;
  • espondilose;
  • espondilite;
  • cistos ovarianos;
  • miomas uterinos;
  • endometriose
  • depressão;
  • câncer, dentre outros problemas.

Quer saber mais sobre dor lombar? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter, e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgião de coluna vertebral em Cuiabá!

Posted by Dr. Carlos Augusto Costa Marques in Todos
Dor lombar – o que pode ser?

Dor lombar – o que pode ser?

É comum ouvir as pessoas reclamarem de “dor lombar”. Sentir dor nessa região das costas é uma causa frequente de visitas aos consultórios médicos por aí. A má notícia é que ao longo da vida 7 em cada 10 pessoas terão esse problema, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). Ou seja, parece não ser tão fácil escapar disso. Sendo a grande maioria das dores nas costas, resultado de lesões e distensões musculares, em consequência de movimentos bruscos, o que se pode imaginar é que todos nós estamos facilmente suscetíveis a essa condição. No entanto, há uma boa notícia. Inegavelmente, o fato de conhecer um pouco mais as causas da dor lombar, com toda certeza atrasará sua ocorrência, bem como, auxiliará na sua busca por tratamento. Sendo assim, este artigo tem como objetivo te ajudar a compreender o que pode desencadear a dor lombar, para que a busca por tratamento se torne mais fácil. Acompanhe os detalhes.

Quais são as causas da dor lombar?

Primeiramente, existe uma gama de possibilidades quando o assunto é dor lombar. Por outro lado, há algumas situações frequentes que são o motivo dessas dores. As chamadas causas comuns. Veja algumas abaixo:

Estiramentos

Atividades em excesso fazem com que os ligamentos das costas se estiquem constantemente. Além disso, se não há devido aquecimento eles podem rasgar, o que provoca a dor lombar, além de frequentes espasmos musculares.

Lesão no disco

A tão conhecida hérnia de disco é outra causa da dor lombar. O avanço da idade é um fator que aumenta a probabilidade de ocorrência. Além das hérnias, os discos localizados na parte de trás das costas podem lesionar e provocar dor intensa na lombar. Sendo assim, é importante ficar atento à qualquer dor nas costas depois de uma torção ou levantamento de peso. Pois, se ela persistir por mais de 3 dias, há sérias chances de ser uma lesão no disco.

Ciática

Outra condição para a dor lombar é a pressão do nervo ciático. Esse nervo está ligado à coluna vertebral, bem como às pernas. Sendo assim, se ocorrer uma hérnia de disco e ela pressionar o nervo ciático, a dor lombar será aguda e parecida com uma ardência ou queimação.

Estenose espinal

A estenose espinhal (ou estreitamento) é uma condição comum que se manifesta quando o pequeno canal medular, que contém as raízes nervosas e a medula espinhal, fica comprimido. Por certo, isso causa um “aperto” da medula espinhal e as raízes nervosas, o que leva a dor lombar e até dormência. Ademais, dores nas pernas e pescoço também podem resultar de uma estenose espinhal.

Curvaturas anormais da coluna

Escoliose e lordose são deformidades na região lombar da coluna vertebral. Embora diagnosticadas, na maioria das vezes na infância, ainda sim podem causar problemas futuros. Em virtude de má postura resultante dessa condição, os músculos ligamentos e vértebras, são facilmente comprimidos. Por consequência, dor intensa na lombar. Em suma, além das causas mais comuns, mencionadas acima, há outros fatores que podem causar a dor lombar. Ao passo que, cada caso é único, de acordo com as particularidades de cada ser humano, é importante conversar com seu médico a respeito das dores que sente, pois, somente ele pode lhe dizer o motivo. Quer saber mais? Clique no banner.
Posted by Dr. Carlos Augusto Costa Marques in Marketplace
10 causas para a dor lombar

10 causas para a dor lombar

A dor lombar, ou lombalgia, é uma sensação dolorosa na parte mais baixa da coluna vertebral, no final das costas. Segundo a Organização Mundial da Saúde, 7 em cada 10 pessoas sofrem com este desconforto no mundo todo. Ela é considerada a maior causa de incapacitação e de ausência no trabalho.

A região lombar é formada por ossos que compõem a coluna e que conectam o tórax, a cintura e as pernas. Essa estrutura é responsável pela maioria dos movimentos, além da sustentação do corpo de pé. Por isso, o incômodo na região afeta tanto a rotina e o bem-estar de quem possui o problema. 

A dor na região pode ser classificada como aguda ou crônica. A aguda aparece de repente ou logo após movimento brusco. Ela pode durar cerca de seis semanas. A subaguda permanece por até dois meses. Já a dor crônica é mais intensa e normalmente persiste por mais de três meses. 

Existem muitas causas para as dores lombares. Conhecendo algumas delas, é possível prevení-las. A seguir, saiba quais são as causas mais comuns que provocam a dor nesta região das costas. 

Principais causas para a dor lombar 

Diversos fatores contribuem para a dor na lombar. A má postura é a causa mais frequente. No entanto, a lombalgia também pode ser causada por inflamação, infecção, hérnia de disco, escorregamento de vértebra, artrose e até problemas emocionais. 

Entre as causas mais comuns, estão: 

  1. levantamento de peso excessivo;
  2. má postura;
  3. sedentarismo;
  4. maus hábitos alimentares; 
  5. obesidade;
  6. lesões; 
  7. cigarro; 
  8. fatores emocionais, como estresse e tristeza;
  9. bebidas alcoólicas;
  10. envelhecimento. 

Tratamento 

Seja aguda, subaguda ou crônica, o tratamento começa com repouso para evitar a pressão na área dolorida. Também é importante o uso de analgésicos ou anti-inflamatórios e, se necessário, o tratamento é complementado com fisioterapia para reabilitação. 

As compressas frias ou quentes também podem aliviar a dor. A compressa fria auxilia na redução do inchaço, e a quente proporciona relaxamento muscular e alívio para as dores crônicas. 

Procurar um especialista antes de dar início ao tratamento é fundamental para entender a origem do problema e não causar transtornos maiores para a saúde com a automedicação. 

Como prevenir as dores lombares?

  • mantenha o peso sob controle; 
  • pratique exercícios de alongamento regularmente; 
  • faça 30 minutos de atividade aeróbica moderada (caminhada, bicicleta, hidroginástica) ao menos três vezes por semana; 
  • fortaleça os músculos do tronco com exercícios adequados ao seu nível de condicionamento; 
  • evite ficar muito tempo na mesma posição (sentado ou em pé); 
  • não fume; 
  • cuidado quando for levantar peso: você deve flexionar os joelhos, usar a força do abdômen e das coxas e manter o objeto próximo ao corpo;
  • nunca tente alcançar algo no chão descendo o tronco com as pernas estendidas;
  • procure formas de administrar situações de estresse.  

Cuidados diários com a saúde, evitar carregar peso além do seu limite e fugir do sedentarismo são passos para alcançar mais qualidade de vida e ficar livre da dor lombar. Este incômodo afeta milhares de pessoas e mudanças simples de hábitos podem contribuir para o alívio do problema. 

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter, e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgião de coluna vertebral em Cuiabá!

Posted by Dr. Carlos Augusto Costa Marques in Marketplace, Todos
Dor lombar: quando deve ser motivo de preocupação?

Dor lombar: quando deve ser motivo de preocupação?

A dor na parte inferior da coluna, ligada à cintura, bacia e pernas, é chamada de dor lombar ou lombalgia. É um problema muito comum e, pelo menos uma vez na vida, você poderá experienciar um quadro de dor desse. 

Entretanto, esse tipo de dor nem sempre é motivo de tanta preocupação. Cada caso deve ser avaliado individualmente e você precisa estar sempre atento a todos os sinais que seu corpo dá junto à dor. Para saber melhor quando procurar um médico acompanhe a leitura e entenda um pouco mais sobre o assunto.

O que causa a dor lombar

As causas da dor na lombar podem ser diversas e, muitas vezes, a dor cessa com o passar do tempo. Os quadros de dor aguda duram em torno de seis semanas e, caso não haja melhora ao longo desse período, o médico ortopedista deverá ser consultado para investigar a raiz do problema.

As causas da lombalgia são diversas e, por isso, o indivíduo deve observar os sintomas e não escondê-los com o uso de anti-inflamatórios e analgésicos por automedicação. Eles podem esconder outros indícios de problemas mais graves que devem ser investigados.

As causas principais de quadros de dor na lombar que levam indivíduos aos consultórios médicos são:

  • inflamação do ciático;
  • esforço repetitivo;
  • enfraquecimento muscular na região;
  • excesso de exercício físico, causando sobrecarga na coluna;
  • postura incorreta;
  • problemas nos rins;
  • hérnia de disco;
  • estresse.

Apesar de serem muitas as razões para um grande incômodo na parte mais baixa da coluna, algumas podem se curar naturalmente. Da mesma forma, outras precisam de atenção e tratamento, principalmente em casos que provocam dor crônica, que pode durar por toda uma vida e interferir negativamente na qualidade de vida.

Quando procurar um especialista

Você deve procurar um especialista em ortopedia imediatamente, caso, junto com a dor na lombar, observar os seguintes sintomas:

  • formigamento ou fraqueza nas pernas;
  • cãibra e formigamento na região da virilha;
  • febre;
  • incontinência urinária ou do esfíncter;
  • vômito;
  • sangue nas fezes;
  • sangue na urina;
  • dor intensa que excede o período de seis semanas;
  • sistema imunológico debilitado;
  • falta de ar e desmaios.

Esses sintomas podem indicar complicações como hérnia de disco, infecção, aneurisma abdominal, problemas graves nos rins, intestino ou tumor maligno. Sabendo disso, os incômodos devem ser informados ao médico para que seja feito o exame clínico e pedidos os exames de imagem necessários para descartar casos graves (ou tratá-los da maneira correta).

Sobre o diagnóstico

Os exames de imagem que podem ser solicitados pelo médico ortopedista para diagnóstico da raiz do problema de lombalgia são o raio-x, a ressonância magnética e a tomografia computadorizada. Nem sempre o indivíduo precisará fazer todos esses exames, portanto serão indicados de acordo com as queixas e necessidades individuais.

Quanto ao tratamento, como podem ser muitas as causas da dor na lombar, não se pode definir o que será indicado para cada caso. O importante é tratar a raiz da dor, e não apenas os sintomas. 

Entre as indicações para prevenir a dor lombar estão a prática regular de exercícios físicos para fortalecimento muscular da região (sem exagero, na medida correta para o seu corpo), hábitos de alimentação saudável, controle de peso para evitar obesidade e sobrepeso, atenção para uma postura correta durante toda e qualquer atividade (inclusive ao dormir) e moderação no esforço repetitivo, seja ele qual for.

 

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter, e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgião de coluna vertebral em Cuiabá!

Posted by Dr. Carlos Augusto Costa Marques in Marketplace, Todos
5 perguntas sobre dor lombar

5 perguntas sobre dor lombar

Atualmente, uma das razões mais comuns de afastamento do trabalho e interrupção das atividades do dia a dia é a dor lombar. Entretanto, por ser comum, nem sempre as pessoas dão a devida atenção ao problema e mascaram os sintomas com analgésicos e anti-inflamatórios. Para esclarecer as dúvidas comuns em torno desse assunto, leia o artigo até o final.

1 – O que é dor lombar?

Dor lombar (ou lombalgia) é a dor na parte baixa da coluna, da cintura até a bacia. Por ser uma região que interliga muitos fatores responsáveis pelos movimentos e locomoção, a dor ou algum problema nessa região podem causar grandes desconfortos que impedem de realizar tarefas básicas da rotina.

2 – Quais as principais causas?

Na maioria dos casos, a dor lombar é aguda e idiopática, ou seja, não tem uma raiz conhecida. Entretanto, existem fatores que podem aumentar as chances de que a região sofra lesões ou entorses que podem gerar muito desconforto. São eles:

  • sedentarismo;
  • esforço repetitivo;
  • carregamento de peso de maneira exagerada e incorreta;
  • enfraquecimento muscular na região;
  • excesso de exercício físico, causando sobrecarga na coluna;
  • postura incorreta;
  • sobrepeso;
  • estresse.

3 – Quando devo procurar um médico imediatamente?

Antes de tratar a dor com analgésicos, você deve observar se não existem sintomas paralelos que indiquem problemas no trato urinário, digestivo, hérnia de disco ou inflamações. Nesses casos, é importante que um especialista seja consultado com rapidez para que não ocorram maiores complicações à saúde.

Os indícios que o corpo dá de maiores problemas relacionados à dor na lombar são o formigamento nas pernas e região da virilha, cãimbra, febre, incontinência urinária ou intestinal, sangue nas fezes ou urina, dor intensa ou com duração de mais de seis semanas, sistema imunológico debilitado e falta de ar associada a tontura e desmaio.

4 – Crianças podem apresentar quadros de lombalgia?

Sim, pode acontecer de crianças se queixarem de dor na região da lombar. Nesse caso, os pais devem observar os outros sinais dados pela criança de que aquela dor pode ter sido desencadeada por algo além de uma brincadeira exagerada ou longos períodos de postura incorreta. 

O mais adequado é levar a criança a uma consulta médica para se descartarem possibilidades de problemas mais graves ou identificá-los de forma precoce. O quanto antes um problema de coluna for identificado em uma criança, maiores são as chances de que seja corrigido, antes que interfira a ponto de prejudicar a qualidade de vida dela.

5 – Como tratar a dor na lombar?

Se você tem se queixado de dor na região inferior da coluna e não sabe bem o que fazer, o repouso é uma boa opção inicial. Em seguida, você pode utilizar compressas frias nos primeiros dias de dor ou quentes em caso de persistência após dois a três dias. O importante é não deixar de procurar um médico, caso a dor não cesse após 5 dias, para que a causa exata seja investigada de forma individual por um especialista.

 

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter, e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgião de coluna vertebral em Cuiabá!

Posted by Dr. Carlos Augusto Costa Marques in Marketplace, Todos
Depressão pode estar associada a dores lombar e cervical

Depressão pode estar associada a dores lombar e cervical

Se o leitor vê com desconfiança a afirmação de que a dor lombar ou a dor cervical podem estar associadas à depressão e a outros problemas psicológicos, deve tomar conhecimento de que estudos médicos concluíram que 50% dos pacientes que sofrem de qualquer tipo de dor crônica apresentam algum nível de depressão.

É possível perceber, tendo em conta toda a literatura disponível sobre o tema, que a depressão é um quadro mental. Como todo distúrbio mental, é produto de estímulos negativos. Perdas afetivas, ambiente familiar, social e profissional estressantes, sentimento de impotência diante de desafios, pressão familiar e social, dificuldades de aceitar a si próprio e uso reiterado de drogas, são fatores desencadeadores dos transtornos mentais.

Como registrado no 1º parágrafo, a dor é um desses fatores. Conviver com a dor crônica é uma tarefa dura e opressora. Dependendo da intensidade, pode afetar a vida profissional e social do paciente.

A dor na coluna é extremamente limitante. Quem já sofreu com hérnia de disco, por exemplo, sabe das dificuldades impostas pela dor que ela provoca, a qual, além de se localizar na altura da lombar e dos quadris, pode ser irradiada para as pernas e até para os pés, impondo limitações ao paciente, que, em muitos casos, é obrigado até mesmo a se licenciar das atividades profissionais para se submeter ao tratamento.

A dor, quando persistente, desencadeia ansiedade, estresse, frustração, impotência e tristeza. Cria-se, então, um ciclo, pois o transtorno emocional alimenta a sensação de dor, que flagela ainda mais o emocional do paciente. É por essa razão que o especialista em tratamento da coluna pode recorrer ao auxílio de um profissional da área de psicologia ou psiquiatria.

O psicólogo tentará tratar o transtorno mental a partir de abordagens psicoterápicas, buscando eliminar os processos mentais que contribuem para o quadro depressivo. O psiquiatra recorrerá ao tratamento orgânico da depressão, usando medicamentos inibidores dos estímulos neurológicos ao quadro depressivo.

Vale ressaltar, ainda, que a abordagem psiquiátrica da dor lombar não deve assustar o paciente. Para isso, basta compreender que o corpo humano é um conjunto de sistemas interdependentes, sendo comum que um problema no sistema estrutural afete o sistema nervoso, e vice-versa. Reconhecer isso e tratar o problema em toda a abrangência, a partir de uma abordagem sistêmica e transdisciplinar, é o caminho para os melhores resultados.

Como tratar a dor lombar e a dor cervical

Se a dor se apresenta de forma persistente, por mais de 7 dias, o caminho natural é procurar um especialista de coluna, para que seja identificada a causa do incômodo, que pode ser hérnia de disco, espondilolistese,espondilose ou várias outras patologias.

Feito o diagnóstico, o especialista irá prescrever o tratamento adequado, podendo incluir relaxantes musculares, medicamentos para a dor neuropática, quando ocorre o comprometimento das raízes dos nervos da coluna, antidepressivos, fisioterapia e outros tratamentos.

O acompanhamento psicológico e/ou psiquiátrico deve ser visto com naturalidade, como parte de uma abordagem mais completa da dor lombar ou cervical, buscando atingir de uma forma mais rápida e eficaz o controle dos sintomas e favorecendo o retorno das condições do paciente de ter uma vida normal.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter, e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgião de coluna vertebral em Cuiabá!

Posted by Dr. Carlos Augusto Costa Marques in Todos
3 alongamentos para amenizar a dor lombar

3 alongamentos para amenizar a dor lombar

Estima-se que cerca de 80% dos adultos experimentam a dor lombar em algum momento de suas vidas. Normalmente a dor aparece após levantarmos peso ou quando fazemos esforços após um longo tempo parado. Também é comum ocorrer depois de ficarmos muito tempo sentado ou quando nos movimentamos demais.

A dor pode durar horas, dias ou até semanas, dependendo de suas causas, gravidade e saúde geral do paciente. Essa sintomatologia pode ocorrer devido a diversos fatores, como excesso de peso, hábito de fumar, ansiedade ou depressão, mas na maioria dos casos é causada por má postura ou muito esforço devido ao trabalho físico.

Felizmente, existem alguns alongamentos que você pode fazer para aliviar a dor – isso mesmo, alongamentos, sem a necessidade de medicamentos. Confira no post de hoje 3 alongamentos para amenizar a dor nas costas. Vamos lá?!

  1. Joelho no peito

Este é um dos alongamentos mais comuns para amenizar a dor nas costas. Para executá-lo de forma segura e evitar possíveis lesões, siga as instruções abaixo:

  • deite-se de costas no chão com os dedos dos pés apontados para cima.
  • mantendo uma das pernas apoiada, lentamente dobre o joelho e puxe a perna até o peito. Envolva seus braços ao redor do joelho e puxe-o em direção ao peito.
  • mantenha a posição por aproximadamente 20 segundos. Mantenha a outra perna no chão.
  • em seguida, volte a perna para a posição inicial. Repita o movimento com a outra perna.
  • no total, você deve fazer entre 2-5 repetições com cada perna.
  1. Yoga para dor lombar

Se a sua dor lombar não sumir em semanas, o yoga também pode ajudar. Em um estudo recente, 12 pessoas que fizeram aulas de yoga experimentaram alívios das dores lombares em vista daquelas que receberam apenas instruções sobre os cuidados com dores nas costas. Os benefícios duraram vários meses após os términos das aulas.

O estudo sugere que aulas convencionais de yoga também oferecem os mesmos benefícios. Apenas certifique-se que o seu instrutor tenha experiência com pessoas com dor nas costas e modifique os alongamentos conforme sua necessidade.

  1. Sentar-se de costas para a parede

Quando se trata de dor nas costas, tente sentar-se no ar de costas para a parede. Para fazer esse alongamento de forma correta e sem lesões, siga os seguintes passos:

  • fique de costas para a parede a uma distância de 20 a 30 centímetros.
  • incline-se com cuidado até que suas costas encostem e fique reta na parede.
  • deslize na parede lentamente até os seus joelhos ficarem flexionados. Continue a pressionar as costas na parede.
  • mantenha a posição por 10 segundos e, em seguida, deslize de volta para a posição inicial.
  • repita esse alongamento por 10 a 12 vezes.

Enfim, esses são os 3 alongamentos simples que você pode fazer para amenizar dores lombares. Após qualquer período de inatividade prolongada, recomenda-se começar devagar. Além de se alongar, você pode caminhar, nadar ou andar de bicicleta por 30 minutos, melhorando assim a sua flexibilidade muscular e protegendo sua região lombar de lesões e/ou distensões.

O alongamento diário pode ajudar a aliviar a dor lombar e melhorar a postura geral para uma coluna mais saudável. No entanto, se a dor persistir e não desaparecer após 6 semanas, recomenda-se buscar ajuda de um ortopedista especialista em coluna.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter, e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgião de coluna vertebral em Cuiabá!

Posted by Dr. Carlos Augusto Costa Marques in Todos