Radiculopatia

Radiculopatia: o que é e como diagnosticar

Em termos gerais, a radiculopatia é a lesão ou a patologia nas raízes e feixes nervosos presentes na coluna vertebral. Geralmente é o resultado de pressões exercidas por fatores degenerativos ou hérnias de disco, causando irritação ou inflamação. Importante destacar que ela traz dormência e um particular padrão de dor, que pode irradiar para as pernas e os braços.

Entendendo as dores

Lesões na coluna quase sempre levam ao comprometimento dos nervos e das raízes nervosas que passam por dentro das vértebras. Portanto, a radiculopatia é uma condição consequente.

Dentre as causas desse quadro, estão artrose da coluna; massas na medula provenientes de tumores ou abscessos; complicações da diabetes; isquemias de alteração de fluxo de sangue; e diferentes tipos de infecções, como sífilis, HIV, tuberculose e herpes-zóster.

Traumatismos graves da coluna provocados por acidentes causam dores crônicas. Qualquer localidade dessa parte do corpo pode ser afetada, entretanto é mais comum que eles ocorram nas regiões lombar e cervical.

A atenção a essas condições é importante, já que os nervos e raízes nervosas são como grandes transmissores do sistema nervoso, isso porque eles levam as informações entre o cérebro e as extremidades do corpo.

Sintomas e diagnósticos da radiculopatia

Para que o diagnóstico correto seja feito, o médico ortopédico especializado em coluna vertebral avalia o tipo de dor proveniente do nervo que foi afetado. Em grande parte dos casos, essas dores surgem nas regiões cervical e lombar, uma vez que recebem muita sobrecarga diária, seja pelo peso do corpo seja por má postura. Ao menor sinal de dor, dormência, formigamento, diminuição de reflexo e, em casos mais delicados, atrofia do músculo, procure o médico.

A dor é intensa e aguda quando a área é estimulada, porque isso provoca uma maior compressão do nervo. Ela pode se irradiar por outras áreas inervadas dos braços e pernas. Dores nas costas são comuns no dia a dia, porém a radiculopatia não pode ser confundida e entendida como algo normal do corpo. Nenhuma incidência de dor deve ser pensada dessa forma. Quando ela é intensa e constante, portanto crônica, pode levar à diminuição da força ou à paralisia.

Um médico faz o diagnóstico após avaliar os sintomas, a avaliação física do paciente e o resultado de exames. Assim, ele identifica os pontos de dor, quais nervos foram afetados e a causa desse quadro. Exames como radiografia, ultrassonografia, ressonância e eletroneuromiografia são eficazes para apresentar as lesões nos nervos e músculos, por fazerem o registro do caminho do impulso elétrico do nervo.

Por fim, o tratamento para a radiculopatia é estipulado pelo ortopedista de acordo com a causa identificada. Assim, são administrados medicamentos analgésicos e anti-inflamatórios para o combate da dor. O acompanhamento com fisioterapia ajuda a soltar os nervos e a tratar o problema constantemente. Contudo, em casos mais graves, a cirurgia é o tratamento melhor recomendado. Nela, o cirurgião ortopédico realiza a descompressão da raiz nervosa.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre esse assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgião de coluna vertebral em Cuiabá!

Comentários
Dr. Carlos Augusto Costa Marques

Posted by Dr. Carlos Augusto Costa Marques