formigamentos

Formigamento e problemas na coluna: entenda a relação

O formigamento é relativamente comum, sobretudo, depois que a pessoa permanece numa mesma posição por um longo período. Nesse caso, o sintoma não é sequer preocupante.

Dormência e formigamento, entretanto, podem sinalizar problemas na coluna. Esses podem ser sintomas de hérnia de disco, quadro clínico comum na coluna lombar (área mais baixa das costas) e coluna cervical (região do pescoço). Esses locais são mais predispostos ao desenvolvimento de hérnia de disco, justamente porque suportam maior carga e estão mais expostos ao movimento.

Entre os fatores que contribuem para o surgimento de hérnia de disco estão a herança genética, envelhecimento, sedentarismo, tabagismo, esforço repetitivo, sobrecarga nos treinos e falta de cautela ao levantar e carregar peso. Herniação discal é uma condição que afeta 35% das pessoas.

Este texto aborda a relação entre o formigamento e doenças vertebrais.

Que problema de coluna pode estar relacionado com formigamento?

O principal problema de coluna que pode apresentar o formigamento como sintoma é a hérnia de disco. É uma condição caracterizada pelo deslocamento do disco vertebral, que sai de sua posição normal, gerando compressão dos nervos. As funções dos discos vertebrais são amortecer impactos na coluna e evitar o contato direto entre as vértebras.

Quais são os outros sinais de problemas na coluna além do formigamento?

O formigamento associado a problemas vertebrais costuma ocorrer nos braços, cotovelos, mãos, dedos, coxas, pernas, pés e glúteos. A localização depende diretamente da área comprimida na raiz nervosa.

O formigamento não é a única manifestação física dos problemas de coluna. Em condições como a hérnia de disco pode haver sinais como dor leve, moderada ou forte nas costas e nos membros, dificuldade de movimentação da nuca, ombros e pescoço, impossibilidade de levantar e abaixar.

Como é feito o tratamento de hérnia de disco?

Aproximadamente 90% das pessoas com hérnia discal na coluna melhoram significativamente com o tratamento conservador, não sendo necessário procedimento cirúrgico. A primeira opção terapêutica consiste em associar repouso, medicação específica e mudança de hábitos.

Geralmente, o procedimento cirúrgico é indicado quando o indivíduo não tem os sintomas controlados com o tratamento conservador ou quando há indícios clínicos de lesão nervosa.

O ortopedista deve avaliar cada caso individualmente, analisando o conjunto de sintomas, localização da dor e reflexos neurológicos nos membros. A partir dessa avaliação é possível determinar se houve ou não dano sério na raiz nervosa.

O sucesso do tratamento depende de um diagnóstico bem feito, por isso, ao sentir dor na coluna ou dormência e formigamento nos membros, não se deve hesitar em procurar o especialista.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgião de coluna vertebral em Cuiabá!

Comentários
Dr. Carlos Augusto Costa Marques

Posted by Dr. Carlos Augusto Costa Marques