Tudo o que você precisa saber sobre espasmos musculares

Quem nunca sentiu uma contração bem dolorida na panturrilha (batata da perna) ou pequenas fisgadas involuntárias nas pálpebras que atire a primeira pedra. Esses são apenas alguns exemplos de fenômenos provocados pelos neurônios, causando contrações involuntárias nas fibras musculares. Esse fenômeno é caracterizado como espasmos musculares.

Para que você conheça mais sobre eles, fique com a gente ao longo deste artigo.

O que de fato são os espasmos musculares e como são causados?

Eles caracterizam uma “resposta” natural de proteção do organismo. Consistem em contrações involuntárias de fibras musculares que respondem por inflamações ou lesões.

Na grande maioria dos casos, esse fenômeno é desencadeado por crises de ansiedade ou estresse.

Na parte posterior corporal, esses espasmos podem indicar danos ou lesões a determinadas estruturas vertebrais, tais como discos, ligamentos, vértebras ou ligamentos que as conectam.

Traumas súbitos, extensões na coluna vertebral ou distúrbios mecânicos que possam causar irritação ou compressão do nervo da espinha também podem ser causas para a condição.

Existem inúmeros tipos de espasmos musculares. O mais comum dentre eles ― e que provavelmente você já sentiu 1 ou mais vezes ao longo da vida ― é a câimbra na panturrilha. A contração que afeta o músculo posterior da perna é dolorosa e quase sempre caracteriza uma reação do organismo ao estresse.

A câimbra na batata da perna também pode ocorrer em decorrência de condições mais sérias, tais como distúrbios hidroeletrolíticos ou doenças neurológicas. Sendo assim, no caso de câimbras muito frequentes, o ideal é buscar ajuda médica.

Outro tipo de espasmo nos músculos muito comum são as “mioquimias palpebrais”, que nada mais são que pequenas contrações, benignas e sem dores, que ocorrem nas pálpebras. Elas são bem recorrentes após crises de estresse.

Os espasmos em questão também podem causar dores fortes na coluna e no pescoço. A dor geralmente é aguda e surge após um episódio, como alongamento, ou após esforços envolvendo a região. Essa dor é similar a um aperto intenso no músculo e geralmente se manifesta em pequenos ciclos ― com duração que pode se estender por até alguns minutos.

Há tratamento para os espasmos musculares? Se sim, quais?

Esses quadros quase sempre exigem apenas pequenas alterações em hábitos rotineiros. Se forem causados por estresse, como a grande maioria deles, vale repensar algumas atividades do dia a dia  e procurar ajuda especializada.

Se o episódio for caracterizado por dores no pescoço ou na coluna, um tratamento conservador aplicado por dias ou no máximo semanas também pode ser o suficiente.

O fundamental é manter as atividades cotidianas normalmente, porém em um ritmo um pouco mais moderado. Após identificar o que, de fato, desencadeia a dor, tal hábito também deve ser evitado ― ou totalmente eliminado da rotina, se possível.

As compressas frias, de calor e o uso de medicamentos anti-inflamatórios também são soluções que podem ajudar.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre esse assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgião de coluna vertebral em Cuiabá!

Comentários
Dr. Carlos Augusto Costa Marques

Posted by Dr. Carlos Augusto Costa Marques