Escoliose Congênita

O que é escoliose congênita?

Dores na coluna são comuns. Apesar de algumas se resolverem naturalmente, muitas outras pedem intervenção médica para serem tratadas adequadamente e evitar problemas mais severos. É o caso da escoliose congênita, que, sem cuidados médicos, tende a piorar e afetar a qualidade de vida. Saiba a seguir o que é, os sintomas, as causas e os tratamentos dessa doença.

O que é escoliose congênita?

Essa doença é um tipo de escoliose, uma deformidade tridimensional na coluna vertebral que a deixa curvada para um lado. Ser congênita significa que a pessoa tem a doença desde o nascimento. Geralmente ela se inicia durante o desenvolvimento embrionário, quando a coluna começa a ser formada, mas normalmente só é detectada nos primeiros anos de vida. É diferente das outras modalidades, a neuromuscular e a idiopática, que podem surgir em outras etapas da vida.

São basicamente 3 tipos que podem ocorrer:

  • De formação, caracterizada por uma vértebra incompleta (hemivértebra), causando a inclinação para o lado menor;
  • De segmentação, quando duas (ou mais) vértebras estão grudadas entre si em um dos lados, fazendo com que elas não se desenvolvam nessa parte;
  • Mista, quando há uma mistura dos dois casos. Elas podem ocorrer em graus variados de gravidade e em qualquer segmento da coluna.

Quais as causas e sintomas?

Por ser um problema gerado no nascimento, não existem causas específicas para o surgimento desse tipo e escoliose. Porém, membros de famílias com histórico familiar da doença têm mais probabilidade de desenvolvê-la.

Uma vez que é uma falha de desenvolvimento, ela pode ser detectada logo no começo da vida e, quanto mais cedo, melhor. Em alguns casos, o problema já é identificado pelos médicos no nascimento. Em outros, é a observação durante os primeiros anos de vida que será capaz de localizá-lo. Os próprios pais podem reparar no curvamento da coluna dos filhos seguindo os indícios suspeitos: desvio no tronco, assimetria dos ombros, desvio na cintura ou bacia e inclinação da cabeça para a lateral.

Além disso, não existem muitos sintomas, já que a escoliose congênita só causa dor em casos mais sérios, em que a deformação é bem mais visível, além de constantemente causar outros problemas como respiratórios em quadros mais avançados. Por isso, se houver qualquer suspeita, consulte um médico e descreva todos os sinais e sintomas. Além dos exames no próprio consultório, testes de imagem são feitos para confirmar (ou não) a doença.

Quais as formas de tratamento?

Em casos mais leves, menores que 20 graus de curvatura, uma opção são os coletes, que utilizam a pressão para alinhar a coluna e impedir que a deformidade aumente ao longo do crescimento. No entanto, eles não revertem a curvatura atual. Para isso, e também para cenários mais complicados, a cirurgia é a melhor opção, seja removendo a hemivértebra seja inserindo hastes de metal, etc. Cabe ao médico averiguar o caso de perto para decidir o melhor procedimento em cada caso de escoliose congênita.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder os seus comentários sobre esse assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgião da coluna vertebral em Cuiabá!

Comentários
Dr. Carlos Augusto Costa Marques

Posted by Dr. Carlos Augusto Costa Marques