dor no coccix

Dor no cóccix: sintomas, causas e tratamentos

Conhecida também como coccidínia ou coccigodinia, a dor no cóccix pode ser extremamente incômoda e dolorosa. Isso porque ele é um osso pequeno que está localizado no final da coluna vertebral e possui diversas subdivisões. A coccidínia, geralmente, é agravada quando a pessoa está sentada; pode ter intensidades leve, moderada e grave. A dor é sentida por baixo do osso sacro e entre as nádegas.

Nos ancestrais dos seres humanos, esse pequeno osso tinha uma função importante: a de dar estabilidade e equilíbrio, função semelhante ao que o rabo possui em outros mamíferos. Mas, atualmente, ele tem apenas o papel de servir de ligação para os músculos da região.

Sintomas

O principal sintoma da coccidínia é a dor profunda, já que, dependendo da posição em que a pessoa está, o corpo exerce pressão no local. As principais queixas de pacientes estão associadas ao ato de sentar-se. Outra característica é que o incômodo é amenizado assim que o paciente fica em pé. Além da dor local, a coccidínia pode causar:

  • dor nas costas;
  • dor durante a defecação;
  • dor na relação sexual;
  • contusão;
  • dor nas pernas, nádegas e quadris.

Em alguns casos, podem aparecer também sintomas como inchaço e febre.

Causas da dor no cóccix

A coccidínia pode ter diversas causas, dentre elas, estão as listadas a seguir.

 

Lesão decorrente de queda

 

Cair sentado, levar um chute forte ou sofrer qualquer pancada no local é a causa mais frequente de coccidínia. Geralmente a dor pode durar algumas horas ou até dias. Mas, em casos mais graves, em que o osso sofre fratura, a dor não diminui com o passar do tempo, como em uma lesão comum. Nessa situação, a dor pode se tornar muito intensa.

 

Postura

 

A má-postura, principalmente ao sentar-se, pode causar incômodo e dor intensa na região inferior das costas. Por isso, é importante ficar atento ao ficar por um longo período na mesma posição, como na direção de um veículo, e ao trabalhar por horas sentado.

 

Gravidez

 

No final da gestação, o organismo da mulher faz com que as articulações e os ligamentos fiquem mais flexíveis, com o objetivo de permitir a passagem do bebê durante o parto. Esse fenômeno atinge, principalmente, os ossos da bacia. Essa flexibilidade faz com que os ossos fiquem mais sensíveis a movimentos, principalmente ao sentar-se e levantar-se.

 

Esforço repetitivo, excesso de peso, cisto e hérnia também são fatores que podem causar a coccidínia.

Alguns tumores também podem ocorrer nessa região.

Tratamentos

O tratamento para a coccidínia irá variar de acordo com a causa e poderá envolver o uso de:

  • anti-inflamatórios,
  • compressas,
  • pomadas,
  • almofadas para apoio.

Além disso, é recomendado que o paciente:

  • evite posições e movimentos que pressionam o local,
  • faça massagens,
  • adote posturas corretas ao sentar-se e ao levantar-se,
  • faça repouso.

Em muitos casos, são necessárias sessões de fisioterapia para a reabilitação do paciente, com o objetivo de fortalecer a região, para que não haja dor no futuro.

A cirurgia para a retirada do cóccix é extremamente rara e só é feita em casos excepcionais, quando se esgotam todas  as opções de tratamento.

O diagnóstico da coccidinia é realizado por meio de anamnese, em que o relato do paciente e o histórico clínico são analisados pelo médico, que pode solicitar, também, exames de imagem como a radiografia.

A dor do cóccix pode ter muitas causas, por isso é importante buscar ajuda médica, para que o tratamento seja eficaz. O paciente deve ter ciência de que uma mudança no estilo de vida, como atenção postural e prática de exercícios físicos de forma leve e moderada, pode prevenir dores e proporcionar melhor qualidade de vida.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter, e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgião de coluna vertebral em Cuiabá!

Comentários
Dr. Carlos Augusto Costa Marques

Posted by Dr. Carlos Augusto Costa Marques