Claudicação neurogênica

Claudicação neurogênica: o que é e como reconhecer?

A claudicação neurogênica é um termo que representa uma alteração de origem nervosa (neurogênica), que causa sintomas nas pernas e no caminhar (claudicação). A principal causa do distúrbio é a estenose vertebral, problema responsável pelo estreitamento do canal vertebral e tem relação com o envelhecimento, já que atinge pessoas acima dos 50 anos.

A estenose na coluna lombar causa dor nas pernas e na região pélvica, mas também pode atingir a região cervical. Em geral, o incômodo é mais forte quando a pessoa está em pé. Os pacientes relatam uma melhora ao sentar com o tronco para frente ou ao deitar-se. 

Isso acontece porque, nessas posições, a pressão na coluna lombar é menor. Além da dor, o paciente pode sentir formigamento, dormência, fraqueza muscular e desequilíbrio. Alguns pacientes com estenose vertebral não conseguem andar por longos períodos porque as pernas ficam “travadas”, obrigando-os a fazer pausas ao longo do caminho, muitas vezes tendo que sentar e inclinar o corpo para frente.

Entenda o que é a claudicação neurogênica e quais são os principais sintomas do distúrbio, a seguir.

O que é claudicação neurogênica?

A origem da claudicação neurogênica está na compressão dos nervos espinhais da coluna lombar (parte inferior das costas). Como dito acima, o principal fator responsável por este tipo de alteração da coluna é a estenose vertebral, que causa o estreitamento do canal espinhal.

Essa alteração pode ocorrer pelo desgaste dessa estrutura ou por outros fatores, como:

  • artrose;
  • hérnia de disco;
  • osteófitos (bicos de papagaio);
  • hipertrofia de articulações e ligamentos;
  • fraturas e escorregamento de vértebras (espondilolistese);
  • cistos ou tumor no canal vertebral. 

Em raros casos, a estenose vertebral é congênita. 

A claudicação neurogênica, portanto, pode ser considerada um sintoma da estenose vertebral. Quando o problema comprime as raízes nervosas da espinha lombar, o sistema motor dos membros inferiores fica prejudicado. 

Confira os sintomas da complicação.

Sintomas da claudicação neurogênica

A claudicação neurogênica afeta a parte inferior do corpo, especificamente a parte mais baixa das costas, além das nádegas, quadris e pernas. Os principais sinais do distúrbio incluem:

  • formigamento;
  • dor;
  • fraqueza e dificuldade para caminhar;
  • cólicas;
  • sensação de peso nas pernas;
  • alívio dos sintomas ao inclinar-se para frente ou ao sentar-se.

Diagnóstico e tratamento da claudicação neurogênica

Ao perceber os sintomas, é indispensável procurar por um médico especialista em coluna. Durante a consulta, o paciente deve detalhar os sintomas e o desconforto, já que eles irão nortear a identificação da doença.

Após o exame físico, o médico deve solicitar exames de imagem, como raio-x, ressonância magnética ou tomografia computadorizada. Caso os exames revelem a compressão dos nervos espinhais por uma hérnia, estenose vertebral ou outro distúrbio, a cirurgia de coluna pode ser indicada para a descompressão do local.

Porém, inicialmente será tentado fisioterapia e exercícios para estabilizar os sintomas com auxílio de medicamentos, ou procedimentos de bloqueio anestésico. A cirurgia será realizada em casos mais severos, como a perda da locomoção e da qualidade de vida.

Em geral, o paciente sente o alívio imediato da dor e da fraqueza após o procedimento. Portanto, para recuperar a qualidade de vida perdida com o problema, é ideal buscar ajuda médica o quanto antes. Consulte o seu médico para avaliar se o seu problema diz respeito à claudicação neurogênica. 

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter, e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgião de coluna vertebral em Cuiabá!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp