cirurgia de coluna

“Vou ficar numa cadeira de rodas, doutor?”: quais são os reais riscos de uma cirurgia de coluna?

Você recebeu a indicação para uma cirurgia de coluna? Provavelmente sim, já que se interessou por este artigo. Quando um paciente é orientado para o tratamento cirúrgico na coluna, é normal que haja certo receio sobre o resultado do procedimento e sobre possíveis complicações, como a perda dos movimentos dos membros inferiores: a paraplegia.

Mas, calma! Vamos discutir, a seguir, sobre os mitos e verdades que envolvem a cirurgia de coluna, principalmente no que se refere às possíveis sequelas do procedimento.

Quais são os potenciais riscos de uma cirurgia de coluna?

Toda e qualquer cirurgia oferece algum grau de risco ao paciente, seja ela vertebral ou não. Tais complicações podem envolver diferentes fatores, inclusive a habilidade do médico na realização desse tipo de procedimento. De todo modo, em geral, os riscos mais previsíveis que podem ocorrer durante, ou após o procedimento incluem:

  • sangramento;
  • infecção;
  • reação à anestesia;
  • coágulos;
  • ataque cardíaco;
  • derrame;
  • problemas pulmonares;
  • danos no nervo com perda de alguns movimentos.

O último caso é o que mais assusta os pacientes, porém, essa é uma complicação que ocorre com rara frequência. Danos nervosos após uma cirurgia de coluna podem gerar dores constantes nas costas ou nos membros inferiores, além de fraqueza, incontinência fecal, urinária e até mesmo disfunção sexual.

No entanto, a mais grave sequela resultante do dano nervoso na coluna é a paralisia.

Por que alguns pacientes têm paralisia após uma cirurgia de coluna?

Existe, sim, certo risco de se ferir os nervos da medula espinhal durante a cirurgia de coluna. A consequência dessa lesão são as alterações no funcionamento dos nervos presentes na coluna espinhal. 

Essas estruturas conectam o cérebro ao corpo. Assim, a intenção de se fazer um movimento, que parte do cérebro, não é capaz de ser manifestada em determinada parte do corpo, quando existe uma lesão nervosa causada por erro cirúrgico na coluna.

Existem incontáveis nervos ligados à medula espinhal, responsáveis pelo movimento de diferentes partes do corpo. Portanto, o grau de comprometimento dos movimentos está intimamente ligado à extensão do nervo lesionado.

Além disso, existem diferentes tipos de cirurgias de coluna, cada uma com seu grau específico de risco. As técnicas utilizadas atualmente variam entre a cirurgia convencional, a minimamente invasiva e a endoscópica.

A técnica convencional, ou cirurgia aberta, é a que corresponde ao maior risco de lesão para o paciente, já que estamos falando de um procedimento que demanda cortes maiores, além de ser mais agressiva. Essa é, inclusive, a modalidade em que o risco de infecção é mais elevado, já que as estruturas corporais ficam totalmente expostas.

Isso ocorre menos com a cirurgia minimamente invasiva, ou mesmo na técnica endoscópica. Ambas oferecem menos exposição das partes internas da coluna, já que podem ser realizadas com uma pequena incisão no local.

Ainda nem mencionamos a cirurgia robótica, que é um procedimento ainda novo no Brasil, mas que oferece alto nível de segurança ao paciente. A cirurgia robótica ainda requer investimento elevado em tecnologia, além de longas horas de treinamento e expertise do cirurgião de coluna para a manipulação da máquina.

A cirurgia de coluna é segura!

O maior risco que se corre é não realizar a cirurgia de coluna, quando existe indicação para tal. O médico especialista em coluna seguirá todos os protocolos para evitar que o paciente chegue à sala de cirurgia. Isso significa que o procedimento será a última opção terapêutica para o alívio do distúrbio que afeta a coluna. 

Portanto, este é um procedimento que deve ser feito apenas quando o tratamento com medicamentos, infiltrações, dentre outros, não surtirem o efeito esperado. Finalmente, quando a cirurgia de coluna é de fato necessária, o especialista utiliza protetores para os nervos, dentre outros métodos que irão garantir a segurança das estruturas nervosas da coluna.

Por fim, não podemos nos esquecer que o paciente também possui responsabilidades no sucesso do seu tratamento, que envolve seguir o pré-operatório determinado pelo cirurgião de coluna, até os cuidados corretos em casa, após o procedimento. Até mesmo o estado de saúde geral do paciente tem influência sobre o sucesso da intervenção.

Comente, abaixo, se você tem receio da cirurgia de coluna. Quer saber mais sobre? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre esse assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgião de coluna vertebral em Cuiabá!

Comentários
Dr. Carlos Augusto Costa Marques

Posted by Dr. Carlos Augusto Costa Marques